Warning: date() [function.date]: It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected 'America/Sao_Paulo' for 'BRST/-2.0/DST' instead in /home/metsul/public_html/secoes/visualiza.php on line 120
Porto Alegre, 26.11.2014
 

Warning: date() [function.date]: It is not safe to rely on the system's timezone settings. You are *required* to use the date.timezone setting or the date_default_timezone_set() function. In case you used any of those methods and you are still getting this warning, you most likely misspelled the timezone identifier. We selected 'America/Sao_Paulo' for 'BRST/-2.0/DST' instead in /home/metsul/public_html/secoes/visualiza.php on line 185
Tornado que varreu Greensburg do mapa é o primeiro EF5 desde 1999

 O tornado que na sexta-feira (05) à noite destruiu a cidade de Greensburg, estado norte-americano do Kansas, foi classificado preliminarmente pelo National Weather Service dos Estados Unidos como um EF5 na Escala Aprimorada de Fujita. Trata-se da mais alta categoria para um tornado. Desde que entrou em caráter operacional a Escala Aprimorada de Fujita, em fevereiro deste ano, jamais tinha sido registrado um evento EF5. O último tornado F5, conforme a classificação antiga utilizada pelo NOAA, havia ocorrido em 3 de maio de 1999 em Moore (Oklahoma). O tornado de oito atrás deixou dezenas de mortos e alcançou até a área metropolitana de Oklahoma City, deixando dezenas de mortos. Segundo o meteorologista e Diretor-Geral da MetSul, Eugenio Hackbart, tornados EF5 ocorrem em média a cada ano e meio ou dois nos Estados Unidos, mas antes de Greensburg foram oito anos sem qualquer ocorrência. O National Weather Service indicou que o tornado que varreu do mapa a cidade de Greensburg teve vento estimado em 370 km/h, percorreu quase quarenta quilômetros e tinha um diâmetro aproximado de dois quilômetros. Veja a trajetória do arrasador tornado de Greensburg.

 

O auge da estação de tornados nos Estados Unidos vai de março ao começo de julho. As tempestades matam, em média, setenta pessoas a cada ano no país. A pior onda de tornados nos Estados Unidos ocorreu em 3 e 4 de abril de 1974, quando 307 pessoas morreram como conseqüência de 148 tornados ocorridos em treze estados. Já o tornado mais mortal é conhecido como TriState Tornado. Ele ocorreu em 18 de março de 1925 e matou 689 pessoas. O fenômeno se formou no estado do Missouri e chegou ao de Indiana, passando pelo sul de Illinois, o que lhe rendeu o nome de tornados dos três estados. Neste ano de 2007, apesar de todos os avanços tecnológicos existentes para previsão e alertas de tornados nos Estados Unidos, 68 pessoas morreram até agora em consequência deste devastador fenômeno. Desde 1999 um ano não registrava tantas vítimas fatais como agora em 2007, indicando uma temporada de tornados mais ativa que o normal. Até agora são onze "tornado killers", ou seja, que produziram mortes. O último deles, que destruiu a cidade de Greensburg no Kansas, esteve associado a uma extraordinária célula de tempestade que foi registrada pelas imagens de radar.

A dimensão do "wedge tornado" que destruiu Greensburg se torna ainda mais evidente por meio das imagens em terceira dimensão do radar meteorológico. As imagens em 3D da supercélula revelam que a nuvem de tempestade tinha mais de dez quilômetros de altura e uma área de chuva forte e vento extremamente intensa.

  

Como o Storm Prediction Center do NOAA tinha indicado uma condição altamente favorável para intensos tornados nas Planícies Centrais dos Estados Unidos na sexta-feira (04), os caçadores de tempestades conhecidos como storm chasers estavam mobilizados na região e puderam registrar em fotografias e vídeos o fenômeno que destruiu completamente a cidade do estado do Kansas.

  

O chaser Lance Ferguson, que seguiu o sistema, se disse impressionado com o comportamento da tempestade. "Foi incrível que a célula continuou a se regenerar de forma contínua desde que se formou em Oklahoma",contou o storm chaser à emissora local KWCH. Já o caçador de tempestades Dan Robinson do site Storm Highway chegou a registrar dois tornados na mesma imagem e conseguiu captar, à distância, os transformadores explodindo no momento em que o tornado atingia o centro de Greenbsurg na sexta à noite.

Uma das fotos mais impressionantes, feita pouca antes do tornado atingir a localidade, foi feita pelo caçador de tempestades Verne Carlson com o recurso de infravermelho.

O registro mais contudente, entretanto, veio em um vídeo. Um grupo de caçadores de tempestade percorria a região de automóvel e estava nas imediações de Greenbsug no momento em que o tornado destruía a localidade do estado do Kansas. Os storm chasers não escondem o seu espanto com a dimensão do tornado no horizonte que somente aparecia quando era iluminado pelos relâmpagos.

Cerca de noventa por cento das empresas e casas de Greensburg, cidade com1.800 habitantes, foram danificadas ou destruídas. A porta-voz do setor de emergência de Kansas, Sharon Watson, disse que equipes especializadas iniciariam uma tentativa de avaliação dos prejuízos ainda no domingo. Bruce Foster, residente de Greensburg de 50 anos, disse que escapou da tempestade escondido no porão da casa de um amigo, amontoado com um grupo de vizinhos debaixo de um colchão."A casa começou a tremer e caía poeira. Os nossos ouvidos começaram a estalar e daí tudo ficou calmo", disse Foster. "Saímos do porão e a casa estava completamente destruída. Não havia nenhum móvel, nada". Os jornais do Kansas estamparam em suas capas de domingo a dimensão do desastre em Greensburg.

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, declarou a cidade uma área de desastre e ofereceu ajuda federal como reforço para a recuperação da comunidade e do condado de Kiowa, onde fica Greensburg. A governadora do Kansas, Kathleen Sebelius, também declarou estado de emergência no condado de Kiowa. Equipes da Cruz Vermelha e voluntários estão mobilizados na região afetada. Em meio ao cenário de horror provocado pelo tornado, a tarefa de um chargista, cuja abordagem dos fatos é tradicionalmente feita com humor, tornou-se mais difícil. O chargista do jornal Wichita-Eagle Richard Crowson ilustrou a tragédia descrevendo o tornado como o pior da "mãe natureza" e a solidariedade humana como o "melhor".

No sábado, dia seguinte ao desastre de Greensburg, 93 tornados foram registrados nos Estados Unidos. Nenhum deles atingiu a magnitude do fenômeno que destruiu a cidade do Kansas. O mais impressionante é que tornados voltaram a ser registrados no mesmo condado onde está Greensburg durante o sábado, mas desta vez a cidade acabou poupada. Mesmo assim as equipes de resgate a todo momento eram obrigadas a buscar abrigos devido aos sucessivos alertas.


Alexandre Amaral de Aguiar - 07/05/2007 00:45:52
 
desenvolvido por Virtuacomm Soluções Internet