Porto Alegre, sexta-feira, 01.07.2016
 
 
 
   
Junho foi um dos meses mais frios da história em Porto Alegre
Por: Julho, 01-07-2016 | 21:55 | Categoria:
 
 
 
 
 

Quem nasceu em 1950 e hoje está com 66 anos de idade em seu tempo de vida passou por apenas quatro meses mais frios que junho de 2016, segundo levantamento realizado pela MetSul a partir de dados oficiais de Porto Alegre. A temperatura média do mês na estação de referência climatológica da Capital foi de 11,5ºC, fazendo de junho o mês de mais frio na cidade desde julho de 2000 que teve média de 11,3ºC, logo foi o segundo mês mais gelado até agora neste século. O valor é 2,8ºC abaixo da normal histórica para junho de 14,3ºC. Se analisado apenas junho foi o com mais frio ao menos desde 1950.


Na climatologia, desde 1950, encontramos só os meses de julho de 1953 (11,2ºC), julho de 1955 (10,7º), julho de 1996 (11,2ºC) e julho de 2000 (11,3º) com média inferior ao junho recém terminado. A menor média mensal (que computa as mínimas e máximas dos dias) já anotada em Porto Alegre é de 10,0ºC em julho de 1916. Em junho de 2016, a média das mínimas oficial da Capital foi 8,3ºC, o que significa 2,4ºC abaixo da média mínima histórica (série 1961-1990) da cidade de 10,7ºC. Já a média máxima do último mês em Porto Alegre, conforme o Instituto Nacional de Meteorologia, foi de 16,4ºC ou 2,8ºC abaixo da normal histórica das máximas (1961-1990) de 19,2ºC.

0
 
 
   
Frequência e duração de nevoeiro muito acima do normal
Por: Junho, 29-06-2016 | 07:35 | Categoria:
 
 
 
 
 

A frequência de nevoeiro tem sido muito acima do normal nesta segunda metade do mês de junho em Porto Alegre. Praticamente todos os dias têm tido cerração na cidade e na região. Com o agravante de que em alguns dias a restrição de visibilidade permanece nas 24 horas do dia. O nevoeiro tem sido tão persistente nestes dias que, inclusive, afeta hoje a navegação na área de Porto Alegre.

Junho é o mês do ano com maior incidência de nevoeiro em Porto Alegre. Um estudo da Força Aérea Brasileira (FAB) da frequência do fenômeno no Aeroporto Salgado Filho, realizado entre os anos de 1998 e 2006, de autoria de Luiz Alexandre Fragozo de Almeida, mostra que no período houve 63 dias de nevoeiro em junho, 56 em maio e 48 em julho, o que determinou média para junho de sete dias com nevoeiro a cada ano. Ocorre que neste junho de 2016, conforme nosso levantamento na MetSul, analisando os metares do aeroporto Salgado Filho, já são até agora doze dias (5, 14, 18, 19, 20, 22, 23, 24, 25, 27, 28 e 29). No período 1998 a 2006, na soma, foram 285 horas de nevoeiro em junho (média para junho no período de 31 horas/mês) contra 212 em maio e 198 horas em julho, o segundo e o terceiro meses com maior incidência do fenômeno. Alguns dos dias com nevoeiro neste mês chegaram a ter dez a doze horas dom com menos de mil metros de visibilidade (FG ou nevoeiro) no Salgado Filho. Só entre os dias 18 e hoje (29) foram mais de 60 horas com nevoeiro (e isso exclui as horas com neblina em que também há restrição de visibilidade) no Salgado Filho.


Nesta segunda metade de junho a temperatura seguiu baixa em camadas da atmosfera mais próximas da superfície com ingresso de ar mais quente em altitude, o que acabou por gerar inversão térmica. A elevação da temperatura diurna com ar mais quente sobre águas muito mais frias que o normal na costa e na Lagoa dos Patos também influenciou a formação de nevoeiro. As águas do Oceano Atlântico estão com temperatura muito abaixo da média na costa do Rio Grande do Sul. E não somente na nossa orla, mas numa área que se estende da costa de província de Buenos Aires até os litorais do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. A alta freqüência de intensos pulsos de ar polar ao longo do outono trouxe as águas mais geladas à medida que a Corrente das Malvinas (fria) avançou bem para o Norte, invadindo áreas em que normalmente está a Corrente do Brasil (quente), como se vê nas imagens de temperatura da superfície do mar do SMN.  


O mar pode influenciar a formação de nevoeiro. Como? O que ocorre? Ar mais quente ingressando de Noroeste/Norte e ao avançar sobre a camada de ar imediatamente acima do mar que está mais fria por conta das águas também frias, o contraste acaba por gerar nevoeiro. Por isso, muitas praias gaúchas têm tido bastante cerração agora neste final de junho, o que deve continuar ainda nos próximos dias com o avanço de ar quente a partir de Oeste na faixa costeira. Situação semelhante se observa também em áreas próximas da Lagoa dos Patos que, igualmente, está com águas mais frias do que o normal.   

0
 
 
   
Bloqueio atmosférico trará calor e chuva excessiva para o Estado
Por: Junho, 26-06-2016 | 20:13 | Categoria:
 
 
 
 
 

O fim de semana foi marcado por chuva no Oeste e parte do Sul do Estado, como se antecipava, com acumulados até altos em pontos destas regiões. Caso de Itaqui, onde alguns locais tiveram 120 mm no sábado e até o 12h de ontem. A estação convencional de Uruguaiana anotou em 24h até 9h hoje 41,0 mm. Em Livramento, a chuva somada de sábado e hoje até 17h foi de 55,0 mm. No mesmo período, Quaraí teve 48 mm e Alegrete 72 mm. Na Metade Norte, incluindo Porto Alegre, o tempo firme predominou e o fim de semana teve sol e nuvens com períodos de maior nebulosidade (foto). A semana terá temperatura mais alta, maiores índices de umidade, muita nebulosidade e instabilidade no Estado, apesar de intervalos com sol. Nesta segunda, a chuva concentra-se na Metade Oeste enquanto a Leste terá predomínio do tempo firme. Na terça, a chuva avança e perde força, o que trará precipitação muito irregular. Na quarta, muitas nuvens sobre o Estado com precipitações ainda irregulares na forma de chuva e garoa em vários locais de diferentes regiões. Na quinta e na sexta, dias que devem ter aquecimento maior e até calor em algumas cidades, o sol aparece com nuvens no Rio Grande do Sul com alguns períodos de nublado. No final da sexta pode chover na fronteira, uma vez que ar polar avançará pela Argentina e gerará uma frente fria com chuva ao menos em parte do Rio Grande do Sul no próximo fim de semana.


Sol marcou presença em Frederico Westphalen que teve máxima de 24ºC – Damasceno Vargas


Domingo de sol e nuvens foi muito agradável em Porto Alegre – Fotos de Fernando Oliveira

A temperatura máxima hoje em Porto Alegre chegou a 22ºC no aeroporto. No interior, que amanheceu com 0,0ºC em baixada de São José dos Ausentes, a máxima à tarde foi a quase 30ºC no Noroeste com 29,4ºC em Santa Rosa que sofria a influência de massa de ar mais quente que está atuando na região. Que ninguém espere onda de frio tão cedo no Rio Grande do Sul. Os mais recentes dados de 15 dias que estávamos analisando hoje são claros em indicar um padrão de bloqueio com temperatura mais acima da média sobre a Metade Norte do Rio Grande do Sul. Aliás, modelos indicam que a presença de ar quente deve ser freqüente na Metade Norte gaúcha neste fim de junho e no começo de julho, o que deve proporcionar vários dias com máximas próximas ou acima de 30ºC na região de Santa Rosa. Não se esboça uma primeira quinzena de julho muito fria, ao contrário do que foi a primeira metade de junho, excepcionalmente e atipicamente gélida. O que se vê com o padrão de bloqueio é o Rio Grande do Sul entre as massas de ar frio e quente sobre a América do Sul, o que deve trazer muita chuva para a fronteira com o Uruguai e Oeste do Estado nas próximas duas semanas. Há dados indicam acumulados de 200 mm a 350 mm de hoje a 10 de julho entre Quaraí, Barra do Quaraí e Uruguaiana. É sina de alerta para o risco de enchente na região de Quaraí e inundações no Noroeste e Norte uruguaio.

0
 
 
   
O colorido de inverno em Porto Alegre
Por: Junho, 26-06-2016 | 20:04 | Categoria:
 
 
 
 
 

O inverno proporciona um colorido nas ruas de Porto Alegre pela vegetação amarelada da estação. O colaborador Mauricio Maciel registrou este colorido neste domingo de sol e nuvens com temperatura agradável na Capital.


0
 
 
   
Postais de uma tarde de inverno em Porto Alegre
Por: Junho, 25-06-2016 | 20:05 | Categoria:
 
 
 
 
 

Porto Alegre começou o dia cinzento, com nevoeiro denso que reduziu a visibilidade a só 200 metros com muitos transtornos para passageiros e empresas aéreas no aeroporto, mas depois que a cerração se dissipou o sol apareceu na cidade acompanhado por muitas nuvens altas (Cirrus) geradas pela instabilidade no interior. A temperatura passou dos 20ºC e a tarde foi agradável. O colaborador e fotógrafo Fernando Oliveira nos enviou lindas fotos da tarde de hoje em Porto Alegre que são verdadeiros cartões postais. Grande trabalho, espetacular, parabéns Fernando!


1
 
 
   
Novo padrão atmosférico com dias amenos e jornadas até de calor
Por: Junho, 25-06-2016 | 19:55 | Categoria:
 
 
 
 
 

A MetSul tem “batido na tecla” aqui e nos meios de comunicação parceiros de que aquele período de frio continuo muito longo não prosseguiria e avançaríamos para outro período com marcas mais altas. Nitidamente esta nova fase já está em andamento. A máxima em Campo Bom hoje foi de agradáveis 21,5ºC. Bem acima dos 10ºC a 15ºC da primeira metade do mês. Porto Alegre foi a 20ºC no Aeroporto Salgado Filho neste sábado. A Serra teve tarde agradável com máxima de 21ºC em Gramado, mesmo máxima anotada em Caxias do Sul. Ausentes que amanheceu com -0,1ºC no 26º dia do ano com mínima abaixo de zero teve agradáveis 18ºC à tarde. No Noroeste, então, dá pra dizer que fez calor perto do que vinha se registrando. A máxima foi a 27,8ºC em Santa Rosa e a 25ºC em Três de Maio. Marcas altas para junho e que estão a demonstrar a anunciada ruptura de padrão que era insustentável à luz da estatística e da lógica histórica.  


Tarde deste sábado foi muito agradável em Porto Alegre com nuvens altas – Fernando Oliveira

Estes últimos dias de junho e os primeiros de julho devem ter temperatura mais alta aqui no Estado com marcas predominantemente amenas à tarde e, potencialmente, alguns dias quentes. Algumas cidades podem ter marcas até ao redor ou acima de 30ºC no período. Não enxergamos no curto prazo nenhum episódio de forte erupção de ar polar alcançando o território gaúcho. Alguns modelos indicam a possibilidade de uma erupção de ar mais frio ao redor dos dia 8 ou 9 de julho e frio mais freqüente na segunda metade de julho.

0
 
 
   
Frequência de formação de nevoeiro seguirá alta no Sul do Brasil
Por: Junho, 25-06-2016 | 11:42 | Categoria:
 
 
 
 
 

A primeira metade do mês de junho foi marcada por tempo muito seco e ar bastante frio com dias gélidos. Apesar da ocorrência de nevoeiro, os bancos se limitavam mais a vales e áreas próximas de rios, com curta duração. Nesta segunda metade de junho, entretanto, disparou a incidência de nevoeiro no Rio Grande do Sul e no Cone Sul com ingresso de ar mais quente em camadas superiores da atmosfera ainda com a presença de ar mais frio e úmido perto da superfície, o que induz inversão térmica. Caso de hoje em Porto Alegre que mais uma vez teve formação de nevoeiro e um dos mais densos deste ano até agora na cidade com apenas 200 metros de visibilidade no Salgado Filho, o que interrompeu as operações de pousos e decolagens por horas seguidas no aeroporto da capital gaúcha. Veja fotos do nevoeiro da manhã de hoje dos nossos leitores.

Porto Alegre – Diego Damásio
Porto Alegre – Márcio Neves
Porto Alegre – Fernando Oliveira
Gravataí - Rafael Michalski
Sapucaia do Sul – Carlos Rauta
Alvorada - Douglas Schatzmann
Porto Alegre - Gustavo Mendes
Sapucaia do Sul - @israichu
Sapucaia do Sul – Morgana Freire Sapucaia do Sul – Carlos Ra
Porto Alegre - Flávio Castro
Porto Alegre – Fernando Oliveira
Alvorada - Luiz Portinho

Como devemos ter um padrão de bloqueio atmosférico com advecção de ar quente de Norte e temperatura mais alta neste fim de junho a começo de julho, a perspectiva é de que a frequência de nevoeiro no Sul do Brasil permaneça alta no período. No caso aqui do Rio Grande do Sul, especialmente em cidades do Centro para o Norte do Estado. Enfatiza-se que a localização dos bancos de nevoeiro e a intensidade vão variar a cada dia, mas o padrão propício ao fenômeno será dominante.

0
 
 
   
Dias amenos e alguns até quentes no fim de junho e começo de julho
Por: Junho, 24-06-2016 | 19:22 | Categoria:
 
 
 
 
 

O Rio Grande do Sul teve hoje o 26º dia do ano e o segundo neste inverno astronômico recém iniciado com registro de temperatura abaixo de zero com 0,1ºC negativo em Santa Rosa, na estação de baixada do bairro Planalto. O frio foi intenso ainda em outras regiões do Estado com marcas de 0,8ºC em Vacaria, 1,2ºC em Livramento, 1,6ºC em Bom Jesus, 2,1ºC em Ausentes, 2,3ºC em Canela e 2,7ºC em Passo Fundo. O último suspiro deste longo período que predomina desde a última semana de fim de abril com frio quase contínuo no Rio Grande do Sul e que trouxe muita geada e até queda de neve na Serra.


Dias atrás publicamos análise em que afirmamos que, em média, os primeiros 50 dias do inverno seriam menos frios que os últimos 50 do outono. Seguimos mais do que nunca firmes nesta crença, especialmente considerando que os últimos dias de junho e primeiros de julho devem ter temperatura mais alta aqui no Estado com marcas predominantemente amenas e, potencialmente, alguns dias. É o que se vê na previsão acima de sete dias para Porto Alegre. Hoje tivemos 19ºC à tarde no aeroporto da Capital e nos próximos dias são esperadas marcas ainda mais altas. Não se enxerga no curto prazo nenhum episódio de forte erupção de ar polar alcançando o território gaúcho. Quem torcia por dias menos gelados e mais confortáveis do ponto de vista térmico terá o seu anseio atendido.

0
 
 
   
Primeiro episódio de chuva forte do inverno atingirá o Oeste
Por: Junho, 24-06-2016 | 18:02 | Categoria:
 
 
 
 
 

A chuva retorna para parte do Rio Grande neste fim de semana. A instabilidade deve afetar cidades do Oeste e do Sul do Rio Grande do Sul enquanto do Centro para o Norte e o Nordeste do Estado o tempo deve seguir firme com sol, nuvens e ingresso de ar mais quente a partir do Norte que proporcionará temperatura muito agradável durante a tarde, acima de 20ºC em muitas localidades. A atmosfera se instabiliza no Oeste na madrugada e/ou manhã deste sábado e no decorrer do dia avança em direção ao Sul. No domingo, a chuva segue concentrada no Oeste e no Sul enquanto nas demais regiões predominará o tempo firme e ameno.


A MetSul adverte que o evento de chuva deste fim de semana tem potencial para ser o primeiro significativo no Rio Grande do Sul neste inverno depois de muitas semanas de chuva escassa. Os acumulados podem ser significativos na soma deste fim de semana e da segunda-feira no Oeste e em parte da fronteira com o Uruguai, notadamente em localidades como Itaqui, Alegrete, Uruguaiana, Quaraí, Barra do Quaraí, Livramento, Dom Pedrito e Rosário do Sul. Chance de volumes perto ou acima de 100 mm na área de Uruguaiana que ainda não teve uma gota sequer de chuva em junho. Há risco ainda de temporais isolados no Oeste com raios, vento forte e granizo localizado.

0
 
 
 
Siga-nos
ARQUIVOS
CATEGORIAS
 
Virtuacomm, criando a certeza de um bom negócio.