Porto Alegre, quarta-feira, 24.08.2016
 
 
 
   
Frente traz temporais nas próximas horas antes do vento do ciclone
Por: Julho, 25-07-2016 | 19:21 | Categoria:
 
 
 
 
 

A MetSul mantém seu alerta de tempo severo e vento forte por ciclone para o Uruguai e o Rio Grande do Sul. Um centro de baixa pressão (B) já atua na região do Prata e traz chuva com frio para a região de Montevidéu. Na noite de hoje (25) começa a se organizar um ramo frontal associado ao ciclone no Oeste do Rio Grande do Sul e que entre a madrugada e a manhã desta terça (26) deve avançar pelo Estado com chuva e temporais. Há o risco de chuva forte de curta duração com raios e não se afasta granizo localizado, mas a possibilidade que mais preocupa é de vendavais isolados que em alguns pontos podem ser intensos e com potencial de causar danos. A virada do tempo deve ocorrer em Porto Alegre e área metropolitana entre o meio/final da madrugada desta terça e o começo da manhã.


O centro de baixa pressão (B) se aprofunda muito nesta terça na região do Rio da Prada e se converterá em ciclone extratropical. A frente fria associada avança pelo Sul do Brasil, trazendo chuva e temporais, risco que é agravado por correntes de vento de Norte com ar quente. O ciclone se intensifica ao longo da terça e gerará vento muito forte a intenso no Uruguai, principalmente nos locais costeiros como os departamentos de Montevidéu, Canelones, Maldonado e Rocha, onde as rajadas podem em alguns pontos bater 100 km/h a 120 km/h com marcas superiores localizadas. Por isso, o vento pode causar danos e transtornos nesta terça-feira no Sul e no Leste uruguaio como quedas de árvores, destalhamentos e cortes de energia. O ciclone estará à tarde nesta terça ao Sul/Sudeste do Chuí e impulsiona ar frio associado a centro de alta pressão (A) na Argentina para o Rio Grande do Sul. O ar frio chega ao Estado com vento moderado a forte amanhã e quarta, especialmente no Sul e no Leste do território gaúcho. Onde as rajadas do ciclone serão mais fortes aqui no Estado é no Sul gaúcho, sobretudo entre Rio Grande e o Chuí, com 80 km/h a 100 km/h. O porto de Rio Grande deve ser afetado nas suas operações. Na área de Porto Alegre, o tempo igual fica ventoso entre amanhã e quarta com rajadas de 60 km/h a 80 km/h. Já nesta terça o tempo melhora em parte do Rio Grande do Sul e estará firme na maior parte do Estado na quarta, apesar de instabilidade ainda em alguns pontos, sobretudo no Sul e no começo do dia, por influência de circulação ciclônica. (Com arte de Fabiano Rodrigues)

0
 
 
   
Alerta de tempo severo e ciclone extratropical com vento forte forte
Por: Julho, 25-07-2016 | 06:55 | Categoria:
 
 
 
 
 

A MetSul Meteorologia emitiu advertência sobre condições atmosféricas adversas no Rio Grande do Sul entre esta segunda e a quarta-feira. Hoje (25), corrente de jato (corredor de vento) em baixos níveis da atmosfera que se origina na Bolívia passa a atuar sobre o Estado, trazendo ar quente e vento do quadrante Norte que deve ter rajadas em algumas regiões. A temperatura terá forte elevação com calor em algumas áreas. Com isso, a atmosfera se instabiliza em parte do território gaúcho. Já no começo do dia pode ter chuva em pontos próximos do Uruguai, mas será, sobretudo, à noite que a instabilidade afeta um maior número de localidades que antes registram sol e temperatura alta durante o dia. Como a corrente de jato estará mais ativa à noite e a atmosfera no horário vai estar mais quente, o risco de temporais é alto. Há possibilidade de granizo e vendavais, alguns potencialmente severos e com risco de danos.


Amanhã (26), principalmente entre a madrugada e de manhã, o cenário se complica mais à medida que uma frente fria avança pelo Rio Grande do Sul. Ao encontrar o ar quente no Estado o risco de temporais aumenta, especialmente em cidades do Centro para o Norte do Estado, incluindo a Grande Porto Alegre. Uma vez que na madrugada a corrente de jato em baixos níveis estará muito intensa sobre a Metade Norte gaúcha, com vento de até 100 km/h a 120 km/h a 1500 metros de altitude, temporais fortes a severos são um risco. No decorrer da terça, a instabilidade cede na maioria das regiões à medida que começa a se dar o ingresso de ar frio que chegará acompanhado de vento moderado e por vezes forte no Rio Grande do Sul gerado por um ciclone extratropical no litoral do Uruguai (projeção de campo de pressão acima). No Uruguai, este ciclone deve trazer vento forte a intenso amanhã (25) e na terça (26/7) com rajadas de 100 km/h a 120 km/h na costa, potencialmente superiores em alguns pontos, com alto risco de quedas de árvores e danos em estruturas em departamentos da costa. Maldonado e Rocha podem ser os locais mais afetados (projeção de vento abaixo). Entre hoje e amanhã, o Uruguai ainda deve ter chuva localmente forte a intensa com altos volumes em algumas áreas.


Na quarta (27), apesar de instabilidade passageira ainda associada à circulação ciclônica no Sul e Leste do Estado, o tempo melhora no Rio Grande do Sul com sol e nuvens. Não se espera mais o risco de temporal. O vento, contudo, ainda pode ser forte com rajadas entre 70 km/h e 90 km/h em pontos do Sul e do Leste do Estado devido à influência do ciclone sobre o Atlântico Sul e que já estará se distanciando do continente. As rajadas mais fortes são esperadas sobre as lagoas e a faixa costeira, podendo afetar as operações do porto em Rio Grande. A navegação não será recomendável. Espera-se uma quarta-feira fria e com baixa sensação térmica.

0
 
 
   
Fomos uma ilha de frio em junho em planeta cada vez mais quente
Por: Julho, 20-07-2016 | 10:51 | Categoria:
 
 
 
 
 

A Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera dos Estados Unidos anunciou que o mês de junho foi o mais quente já registrado no planeta no período de observação entre 1880 e 2016. Foi o 40º junho seguido em que a temperatura no globo ficou acima da média do século 20. De acordo com a NOAA, junho se igualou a março de 2015 como o 9º mês com maior desvio positivo de temperatura entre todos os 1638 meses do período de registros. Nada menos que 14 dos 15 meses com temperatura mais acima da média no mundo ocorreram desde fevereiro de 2015 e a única exceção foi fevereiro de 2007.

O detalhe muito interessante no mapa (acima) de temperatura global de junho de 2016 foi que o Centro da América do Sul, particularmente o Rio Grande do Sul e áreas vizinhas, foi uma das poucas áreas do planeta em que a temperatura foi inferior à media no último mês. No nosso caso, muito mais frio do que o normal, afinal desde 1950 não se teve um junho mais frio que o deste ano no território gaúcho. Em teoria, se grande parte da Terra teve um mês muito mais quente que o normal, a tendência é que os poucos locais com condição oposta acabem sendo bem mais frios que o normal por equilíbrio atmosférico. É o que muitos pesquisadores defendem como a acentuação dos extremos por conta das mudanças climáticas.

0
 
 
   
Frio não dá trégua e Rio Grande do Sul segue abaixo de zero
Por: Julho, 20-07-2016 | 10:47 | Categoria:
 
 
 
 
 

O Rio Grande do Sul teve nesta quarta o 34º dia do ano com registro de mínima negativa e o sexto em julho no quarto dia seguido com temperatura abaixo de zero no Estado. Fez -3,1ºC em Santa Rosa, -2,2ºC em Bom Jesus, -2,0ºC em Cambará do Sul, -1,3ºC em São José dos Ausentes e Soledade, -1,1ºC em Vacaria, -0,9ºC em Livramento, -0,8ºC em Serafina Correa, -0,5ºC em Farroupilha, e -0,4ºC em Quaraí e Passo Fundo. Quase todas as demais cidades do Estado amanheceram com mínimas entre 0ºC e 3ºC. No Oeste, os termômetros indicaram 1,5ºC em Alegrete e 2,0ºC em Uruguaiana. Na Campanha, Bagé teve 1,0ºC. No Sul, a mínima baixou a 2,6ºC em Pelotas. No Centro do Estado fez 0,6ºC em Santa Maria. No Alto Jacuí, a mínima caiu a 1,0ºC em Cruz Alta. Nas Missões, o dia começou com 1,8ºC em São Luiz Gonzaga. No Alto Uruguai, a mínima baixou a 0,9ºC em Erechim. E mesmo na costa fez muito frio com apenas 2,6ºC em Torres. Porto Alegre teve 3,4ºC na Lomba do Pinheiro. Na região metropolitana, as mínimas baixaram a 1ºC em Novo Hamburgo (Lomba Grande) e 2ºC em Canoas (Base Aérea). O frio não vai dar trégua nas próximas noites e até sábado todos os dias podem ter marcas negativas no Rio Grande do Sul. As máximas é que se elevam mais no final desta semana. (Com fotografia de Rafael Cabral do amanhecer hoje em Novo Hamburgo).

0
 
 
   
Semana marcada por temperatura negativa no Rio Grande do Sul
Por: Julho, 18-07-2016 | 13:48 | Categoria:
 
 
 
 
 

O amanhecer desta segunda-feira no Rio Grande do Sul foi uma amostra do que será o restante da semana no Estado. Depois da neve na Serra e Aparados no final do sábado e no começo do domingo, e de uma surpreendente precipitação de chuva congelada no final do domingo na Serra do Sudeste (Pinheiro Machado), o território gaúcho começou a segunda-feira gelado e com geada em muitas cidades. Foram várias localidades em que a temperatura caiu abaixo de zero: -4,8ºC em Bom Jesus, -4,4ºC em Santa Rosa e em Vacaria, -3,8ºC em Soledade e Ausentes, -2,9ºC em Lagoa Vermelha, -2,4ºC em Cambará do Sul, -2,1ºC em Pinhal da Serra, -1,9ºC em Serafina Corrêa, -1,5ºC em Carazinho, -1,2ºC em Cruz Alta e Caxias do Sul, -1,1ºC em Nonoai, -1,0ºC em Erechim, -0,8ºC em Farroupilha, -0,7ºC em Antonio Prado, -0,6ºC em Ibirubá, -0,5ºC em Pontão, -0,3ºC em Quaraí, -0,2ºC em São Marcos e -0,1ºC em Frederico Westphalen.


O Rio Grande do Sul terá muitas madrugadas seguidas com mínimas negativas. A de hoje foi apenas a segunda seguida nesta onda de frio, elevando para 32 o número de dias no ano com marcas abaixo de zero no Estado. Como o ar seco vai predominar durante a semana e com a atmosfera ainda muito resfriada, mesmo que a temperatura suba mais de dia, o resfriamento noturno será bastante acentuado com mínimas entre 0ºC e 5ºC na maioria das cidades gaúchas e negativas em algumas, especialmente nas baixadas. Até o próximo domingo todos os dias no Estado podem ter mínimas abaixo de zero, reiteram os dados analisados nesta segunda-feira. Devido à diminuição da nebulosidade e o ar mais seco, que vai garantir o predomínio do sol no Estado, algumas cidades devem ter nos próximos dias marcas até menores que as de hoje. As máximas é que tendem a ficar mais amenas. Até a metade da semana devem seguir baixas, mas no final da semana já serão agradáveis e ao redor dos 20ºC na maior parte do Rio Grande do Sul. Chuva mais generalizada somente retornaria ao território gaúcho na próxima semana.    

0
 
 
   
Massa de ar polar chega com força e traz neve no Sul do Brasil
Por: Julho, 17-07-2016 | 11:52 | Categoria:
 
 
 
 
 

Nevou no Rio Grande do Sul e Santa Catarina nas últimas horas com o ingresso de uma potente massa de ar polar. A primeira ocorrência de neve ocorreu ainda no fim da tarde de sábado em São José dos Ausentes, mas foi na madrugada deste domingo que a neve caiu em um maior número de localidades. A MetSul confirmou o fenômeno em Canela, Gramado, São Francisco de Paula, Bom Jesus, Cambará do Sul e São José dos Ausentes. Onde mais nevou foi em São Francisco de Paula, cidade que habitualmente registra mais neve sob influência da circulação de uma área de baixa pressão, por estar a mil metros de altitude, mais ao Sul nos Aparados e estar próxima da costa, de onde recebe uma maior injeção de umidade.


Neve fez a alegria de quem estava na rua para a festa na madrugada de Gramado – Bruno Saraiva

A neve, em geral, foi fraca e com mínima acumulação. Foi uma neve dita “rala” com baixo diâmetro. Como o perfil da atmosfera estava mais seco e as nuvens que cobriam o Nordeste gaúcho eram principalmente baixas e sem maior desenvolvimento vertical, não havia condições na maioria dos locais para a formação de neve na forma de flocos com maior diâmetro, o que ocorreu, por exemplo, sob abundante umidade, com uma frente em agosto de 2013. O vento forte foi outro fator importante para ter nevado, uma vez que se produz o chamado levantamento vertical. O vento forte na área de relevo determina que se formem nuvens, o que explica porque muitas áreas do Estado tinham céu claro e sobre o Nordeste gaúcho existia abundante nebulosidade na madrugada, o que propiciou que nevasse.


Neve, apesar de rala, foi suficiente para cobrir os vidros dos carros em Gramado – Fernando Keiser


São Francisco de Paula foi a localidade onde mais nevou na madrugada – Juliana Ávila

O cenário sinótico era propício à neve com a presença de uma massa de ar polar com trajetória continental associada a um centro de alta pressão de 1028 hPa no Centro e no Norte da Argentina, e uma área de menor pressão atmosférica (cavado polar) na costa do Rio Grande do Sul. A circulação de umidade associada à baixa pressão e o ar gelado que chegava pelo Oeste se somaram para propiciar o fenômeno. Dados de modelos indicam que o ar é extremamente frio em altitude (-4,5ºC no nível de 850 hPa ou 1500 metros de altitude) e que o ponto de congelamento na atmosfera (freezing level) baixou a somente 250 metros, indicando uma massa de ar extremamente gelado.

O ar polar, responsável pela neve, derrubou a temperatura e o Rio Grande do Sul teve o 31º dia do ano com marca negativa. Fez -2,0ºC em Cambará do Sul e -1,9ºC em Santa Rosa. Porto Alegre teve 4,0ºC no Morro da Polícia. As condições favoráveis à neve cessam, mas o frio prossegue e intenso. Estamos no começo a recém de um período de frio prolongado. Apesar de tardes mais amenas no decorrer da semana, com a tendência de tempo seco a tendência é seguir fazendo muito frio à noite com formação de no Rio Grande do Sul por vários dias seguidos. O Estado pode ter mínimas negativas todos os dias até o próximo fim de semana, logo sete a oito dias consecutivos de marcas abaixo de zero.

0
 
 
   
Forte massa de ar polar traz frio intenso e muitos dias abaixo de zero
Por: Julho, 16-07-2016 | 07:20 | Categoria:
 
 
 
 
 

Uma forte massa de ar frio ingressa no Rio Grande do Sul neste sábado e a temperatura vai despencar, alerta a MetSul Meteorologia. Um centro de baixa pressão nos litorais da Argentina e do Uruguai impulsiona uma corrente de ar gelado do polo para o Estado. Com a chegada do ar gelado, o vento se intensifica e sopra com rajadas por vezes fortes, sobretudo na tarde e na noite deste sábado, mas ainda amanhã se espera que o vento seja moderado durante o dia com rajadas no Leste do Estado. Por isso, o alerta da MetSul de baixa sensação térmica, especialmente na noite de hoje, e na madrugada e amanhecer do domingo. Trata-se de uma forte incursão de ar polar, a segunda mais forte deste ano até agora, com ar muito gelado (em azul na projeção abaixo do modelo Europeu) que cobrirá o Rio Grande do Sul.

Hoje, a temperatura estará em declínio e a tarde já será fria em algumas regiões, mas vai ser à noite o resfriamento mais intenso, quando devem ocorrer as mínimas deste sábado. Não enxergamos condições muito favoráveis à neve na Serra (Aparados têm chance pequena) por conta do perfil mais seco da atmosfera que deve se instalar com a chegada do ar gelado. Faz muito frio ao longo do domingo com um amanhecer gelado, e de marcas negativas, e mesmo à tarde a temperatura deve se manter baixa. Não projetamos geada generalizada ainda neste domingo porque o vento deve impedir a formação do fenômeno em vários pontos, porém no Oeste, Noroeste e no Norte, onde o vento deve ser mais fraco a calmo, já se espera a ocorrência de geada. A MetSul alerta para um período de frio prolongado. Apesar de tardes mais amenas no decorrer da semana, com a tendência de tempo seco a tendência é seguir fazendo muito frio à noite com formação de no Rio Grande do Sul por vários dias seguidos. É uma forte possibilidade que se registre prolongada sequência de noites com mínimas abaixo de zero no território gaúcho, não se descartando que todos os dias entre este domingo e o próximo fim de semana tenham marcas negativas no Estado, logo existe a chance de ao menos sete dias consecutivos de mínimas negativas no Rio Grande do Sul, de acordo com os dados que estamos manejando. Isso aumentaria ainda mais a lista de dias com mínimas negativas deste ano aqui no Estado e que já chega a 30 até o momento após o junho que registrou 19 dias com mínimas abaixo de zero.

0
 
 
   
Granizo volta a atingir o Estado e risco prossegue hoje
Por: Julho, 14-07-2016 | 07:26 | Categoria:
 
 
 
 
 

Mais de vinte cidades do Paraná foram atingidas por temporais de vento e, sobretudo, granizo na tarde e noite da terça-feira por conta de então frente fria que se tornou semi-estacionária sobre o Sul do Brasil. As pedras de granizo chegaram a romper a janela da cabine de comando de uma aeronave da Latam em voo para Porto Alegre que alternou, por segurança, para São Paulo. Este sistema voltou a se intensificar ontem no fim da tarde e à noite sobre Santa Catarina e a Metade Norte do Rio Grande do Sul e avançava para Sul. Várias cidades do Norte gaúcho tiveram granizo ontem à noite com destelhamentos e danos em lavouras. Em Não-Me-Toque supercélula trouxe imensa quantidade de gelo e o granizo acumulou nas ruas em cenário que mais parecia o de uma nevasca (foto abaixo da 90,3 FM).


Chuva com queda de granizo atingiu a Grande Porto Alegre no final da quarta-feira, ao redor das 23h, como alertava a MetSul em suas redes sociais. O gelo caiu em grande quantidade a ponto de acumular em pontos de Canoas, Nova Santa Rita, Alvorada e Viamão. Houve granizo ainda no Sarandi, na zona Norte de Porto Alegre. Em muitos locais da região metropolitana e da Capital não houve granizo e em alguns sequer caiu uma gota de chuva. Na madrugada voltou a cair granizo em Garibaldi e no amanhecer de hoje o fenômeno seguia castigando o Norte e o Noroeste do Estado com ocorrências em Santa Rosa.


Granizo chegou a acumular em estacionamentos e ruas de Canoas – João Paulo


Granizo atingiu Garibaldi na madrugada de hoje – Cristina Gehlen

A MetSul mantém o alerta de risco de tempo severo com chuva localmente forte, raios e granizo localizado para esta quinta do Centro para o Norte do Estado, incluindo a Grande Porto Alegre, apesar de intervalos de melhoria que podem ter até aberturas de sol em parte do dia em algumas cidades. A atmosfera está extremamente úmida e instável, sendo alimentada por ar quente de Norte trazido por uma corrente de jato em baixos níveis que se origina da Bolívia. Com a atmosfera mais resfriada pelo inverno a queda de granizo se torna muito facilitada. Qualquer nuvem de maior desenvolvimento vertical pode trazer as pedras de gelo. A MetSul alerta que os volumes de chuva podem ser bastante altos hoje no Norte do Estado, para onde o modelo numérico WRF indica de 100 mm a 150 mm só no dia de hoje em algumas localidades da região, ou seja, chuva de um mês em apenas um dia. Na Metade Sul se espera sol, nuvens e chuva com risco menor de temporal que na Metade Norte. O tempo ainda estará instável na sexta no Estado, cedendo gradualmente o risco de tempo severo à medida que avança ar frio que derrubará a temperatura e trará um fim de semana gelado.  

0
 
 
   
Chuva retorna ao Rio Grande do Sul com risco de mais granizo
Por: Julho, 13-07-2016 | 07:51 | Categoria:
 
 
 
 
 

O Rio Grande do Sul começou a quarta-feira com tempo firme e ensolarado, apesar de nevoeiro em alguns pontos. Fez frio com marca de 2,7ºC em Livramento. Da tarde para a noite o tempo muda em várias regiões gaúchas à medida que uma frente semi-estacionária entre Santa Catarina e o Paraná recua para o Rio Grande do Sul. Foi este sistema, ontem como frente fria, que trouxe temporais de vento e granizo com estragos e feridos no Paraná. O recuo da instabilidade para o Sul ocorrerá à medida que se reativa uma corrente de jato em baixos níveis que se origina na Bolívia e que transportará ar quente e seco para os territórios catarinense e paranaense, além do Norte gaúcho.


Chove até o final desta quarta, especialmente à noite, em várias regiões gaúchas. Como o fluxo de ar quente que gera nuvens mais carregadas estará mais ao Norte, o risco de chuva forte e temporais isolados com raios e granizo é maior na Metade Norte gaúcha, em especial em áreas mais próximas de Santa Catarina. Em Porto Alegre, a chuva chega entre o final da quarta e o começo da quinta. A quinta, aliás, deve ter muitas nuvens, chuva e garoa na maioria das regiões gaúchas. Apesar disso, ocorrem aberturas em algumas áreas. O Estado tem risco de temporais isolados, sobretudo de granizo, mas não se afasta a possibilidade de vendavais localizados. Não chega a ser um dia frio. Na sexta, muitas nuvens sobre o Estado, principalmente na primeira metade do dia, quando ainda pode chover e garoar em diferentes pontos, mas da tarde para a noite a nebulosidade diminui e o sol aparece em vários pontos, apesar de nebulosidade e chuva ainda localizada. Massa de ar frio de origem polar começa a ingressar da tarde pra noite na sexta-feira com queda de temperatura mais acentuada no Oeste e no Sul, onde o vento aumenta a sensação de frio. No fim de semana, que será de sol, o ar polar toma conta do Estado que terá muito frio, vento gelado no sábado, e mínimas negativas.  

0
 
 
 
Siga-nos
ARQUIVOS
CATEGORIAS
 
Virtuacomm, criando a certeza de um bom negócio.